Aqui o pesquisador científico pode ser REMUNERADO pela prestação de serviços especializados, pode REIVINDICAR para si mesmo em virtude de inovação, pode prestar CONSULTORIAS para empresas, e pode ter a participação mínima de 15%, além de bolsa de capacitação para seus servidores.

Com 26 anos de experiência em Projetos Agrícolas, também apoiamos os Coordenadores de Projetos em INOVAÇÃO TECNOLÓGICA, desde 2010 quando nos preparamos estatutariamente e montamos o NIT (Decreto 62.817) da FUNDAG, e agora estamos prontos também para a aplicação da LEI DO BEM, com retorno financeiro para os projetos e para as empresas.